AMOR E TRANSFERÊNCIA NA PERSPECTIVA CLÍNICA FREUDIANA